segunda-feira, outubro 5

É o que eu tenho me pedido...

De uns tempos prá cá eu tenho me perguntado: porque não dizer aos outros? Dizer que você está bem ou mal. Dizer, comunicar como eu vejo certas coisas e como geralmente me comunico com o Mundo. É necessário se abrir de vez em quando. Ou então fingir que se abre, e empolgar num personagem imaginário.

A verdade é que tenho tido vontade de derrepente comunicar-me especialmente com outras pessoas que eu gosto ou que gostam de mim. Isso é bom, imagino. Quem sabe não é possível criar laços mais intensos ou acabar de vez com o que não tem mais jeito, ou que iria dar errado num futuro não tão distante.

Pergunto-me diariamente sobre um turbilhão de coisas, algumas vezes compartilho com Deus, pois são perguntas um tanto pertinentes. É meio complicado se expor, ou fingir esse ato. Mas de qualquer forma, se mostrar é difícil.

As pessoas têm sempre uma imagem de você, e quando te vêem de uma forma que não esperavam isso lhes dá um susto. É como ver alguém bom, santo, cometendo algo que nunca se esperou que ele fosse cometer. Isso não vem ao caso, mas é uma parábola que exemplifica bem a reação de algumas pessoas ao verem alguma coisa que não esperavam.


Por isso se você chegar a ver que não gostou, ou o que não esperava, acalma-se. Torne-se uma pessoa melhor e veja da forma como lhe foi permitido, experimente. Acredite, as pessoas vêem um turbilhão de coisas feias, erradas, inúteis e sem valor racional em você e nem por isso te dizem. Podem ser chamadas de falsas ou de pessoas que respeitam, mas a verdade é única: elas viajam constantemente. Pensando em você ou em alguma outra coisa.

4 comentários:

Diogo Damasceno Pires disse...

Caro amigo,
Vou te responder mais ou menos o que respondi para o João outro dia, pois...

Vivemos desta necessidade... de blogar a nossa felicidade, as nossas criações e emoções. Se isto não é arte, mesmo que interiormente no que se trata a nossa vida, deixo de ser e até de me compreender. Portanto, liberta-nos saber que podemos compartilhar o que sentimos, de modo tão sutil como já estamos acostumados, neh?!

Parabéns pelo Blog e pela oportunidade de lhe conhecer melhor.

Abraços,
Diogo.

{J}ornalista {D}escaradamasio disse...

Rsrs... não teve jeito de chegar antes do Diogo, mas tudo bem.

Se expressar sempre é arte.
Quanto à sua primeira postagem: realmente há estereótipos sobre todos nós e que, paulatinamente podemos desmanchá-los. Percebo sua atitude. E vc está conseguindo desmanchar esta figuração que as pessoas tiveram ou tem de você. Sempre somos bem mais do que o olho alheio pode ver!
E é bom demonstrar isto de vez enquando.

Parabéns também pelo título do Blog que é bem sugestivo e sabemos o que vamos encontrar no seu blog. Já está na minha lista de recomendações.

Bom ganhar mais um amigo blogueiro.

Abçs, JD.

Way disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Way disse...

Parábens, adorei a ideia...
Imaginei vc falando:
É como ver alguém bom, santo, cometendo algo que nunca se esperou que ele fosse cometer....
kkkkkkkkk
Tô brincando...
Abraçosss e
Sucesso

Postar um comentário

Viage mais em:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...