quinta-feira, dezembro 2

Talvez não me esqueça de ti.

Acordei com olhos de vidro por conta de vós. Chorei solenemente lembrando que minhas idéias não se tornaram invento da vontade. Pra mostrar que sonhei em te carregar na sexta de minha lambreta cor de amarelo. Caminhar de mãos dadas te exibindo pela rua sempre ao sol sem que minha pele se bronzeasse mais. A tristeza é grande. Começo a ter o sentimento que por esses instantes de minha vida estive morto. Vós, minha morena de colo. Como isso pôde acontecer. Soluço e as lágrimas escorrem fazendo o suficiente para que tudo se transforme num desconforto agonizante. Confesso-te que minhas idéias não eram reais e que de repente possa ter exagerado.

Olhe-me nesse chão verde e não se esqueça do que vê. Esse meu desespero foi por causa de você morena linda. Sou negro sei. Nem por isso negar-me é o melhor. Poder-te-ia chamar de negra de luz todo santo dia. Trazer banana no cacho quando vós pedirdes. Caju maduro e doce do manguezal. Melado e camarão fresco. Era vós a deusa das minhas ilusões. De tão negra branca. Do nariz tão grande que me emociona.

Ó morena deusa, tem certeza que vai mesmo? Como me dói negra, saber que vai e não voltará. Não adianta tentar me levantar e dizer tudo isso por conta de que nada vai mudar. Nem vou permitir-me tocar vossa pele com cheiro de rosas para dizer adeus. Mesmo que saiba no que me tornarei tenho certeza que não te abalarás. Vai, pois te amo. Vou correr daqui a pouco depois de não te ver pra poder exercer a liberdade que chegou já faz tempo. Demonstrar pra mim mesmo que posso encontrar outra deusa.

Vou nutrir vossa aparência em minha cabeça como a negra dos sonhos que me fez amar. E chamar pra ti um amor justo. Depois do sacrilégio dos próximos dias vou banhar no riacho perfumar-me e correr pro centro ver os lugares que nos amávamos e víamos o povo feio do bairro. Vai, pois te amo e se isso é o melhor pra ti, logo concordo e mando que corra em busca do que te faz feliz.

Só não permita que lhe fuja da cabeça minha feitura e meus sentimentos por vós. Guarde bem tudo o que digo e volte de onde vai sempre que quiser sentir, ver e tocar. Estimo-te mais do que pensava. Chorarei por mais meia hora e não me lembrarei do fato de que já se foi. Ensaiarei novas idéias. Vai...

3 comentários:

Tadeu disse...

"Vai e me atrás o mar para me afogar" como diz um amigo meu Jarleo Barbosa, poeta!

Diogo Damasceno Pires disse...

Caro amigo e poeta, todas as vezes que te leio, nunca sei onde vou parar, rs... e com certeza fico feliz com as surpresas da sua mente fertil! Muito grato!

mairany disse...

Lindo, lindo, lindo...

Postar um comentário

Viage mais em:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...